quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Unidade na Diversidade

Esse texto eu produzi na aula de Introdução ao Ensino Superior, como treinamento de escrita.

Vivemos em uma sociedade diversa. Essa vida em sociedade nos leva a convivermos com pessoas que nem sempre se enquadram dentro de nossos ideais pré-concebidos. Isso pode gerar uma intolerância da parte de alguns. Essa intolerância nos empurra a um tema que tem sido constante para nós - o preconceito.
Conceitos pré-fabricados podem nos levar a erros incorrigíveis. Somos empurrados pelo meio em que vivemos a construirmos nossas verdades a partir de conceitos que nos são oferecidos por nossos familiares, pela sociedade na qual estamos inseridos.
A diversidade de raças constrói a sociedade. Quando digo raça não estou me referindo apenas a etnia, mas a nossa diversidade enquanto seres humanos. Essas diferenças vão nos construindo, vão definindo quem somos na coletividade.
Não podemos nos esquecer das consequências trazidas por olhares preconceituosos. Uma delas é a marginalidade. Essa marginalidade é fruto e não causa do preconceito. Pessoas postas à margem somente por não estarem inseridos dentro daquilo que nós, sociedade, construímos como verdade.
Sendo assim, a exclusão rouba a oportunidade desses seres-humanos de se desenvolverem como pessoas, como cidadãos que, como tais, são detentores dos mesmos direitos e oportunidades oferecidas aos demais.
Ao considerarmos os fatos acima, vejo que o nosso desafio como sociedade é aceitarmos o nosso semelhante mesmo que ele não se enquadre no perfil que achamos ser o ideal. Convivermos com aqueles que comungam de nossas idéias e valores é fácil, mas vivermos em harmonia com os "diferentes", eis o nosso maior desafio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário