sexta-feira, 5 de novembro de 2010

O Príncipe virou sapo....

... ou a princesa é míope??? Bem, quando pensamos em Contos de Fadas vem o tão esperado “Final Feliz”!!! Mas, vamos analisar essa síndrome que toma conta das mulheres. Bem, o que vem antes do Final Feliz?
Tenho uma amiga que se encantou por um “sapo”. Mas o interessante é que ele era sapo desde o início do relacionamento. Todos estavam vendo o “sapo” tal como ele era, menos minha amiga, que se sentia suficientemente encorajada para encarar aquele relacionamento com todos seus prós e contras (é bem verdade que tinham mais contras), que ela já havia analisado várias vezes, argumentando para todos, e para ela mesma os motivos que levariam seu relacionamento ao sucesso. Mas, tudo eram apenas conjecturas... por que na prática.... a massa do bolo desandou feio. Conversando com ela nesses dias, quando o tal “príncipe” já havia virado sapo, e o relacionamento já estava por um fio do fim, ela veio com os argumentos contra que já havíamos colocado pra ela desde o inicio. O que houve?? O que “abriu os olhos” de minha amiga??? Teria ela ido ao um oftalmologista sentimental?? Claro que não!!! O que realmente fez com que ela o visse da forma como ele realmente era foi a prova da rotina, do cotidiano, da convivência.
                Muitas de nós mulheres, idealizamos uma pessoa e queremos que nosso parceiro se encaixe exatamente naquelas qualidades idealizada por nós. Mas a convivência desvenda a farsa!!! O dia-a-dia faz com que as “sombras” desapareçam, e assim podemos ver o outro tal como ele é. Nossa miopia desaparece quando deixamos as máscaras caírem. Isso não quer dizer que não temos expectativas com relação ao nosso parceiro, mas devemos ter em mente que ele também tem as suas expectativas com relação a nós. Será que estamos correspondendo a todas elas à altura? Quando tiramos o foco de nós e olhamos para o outro, nossas relações certamente serão muito bem sucedidas.
                Mas, voltando ao nosso “final feliz”, fico imaginando o que aconteceu por exemplo à Cinderela. Uma vez, li em um livro, que falava sobre o depois do final feliz, que Cinderela e o Príncipe acabaram se divorciando. A relação desandou.... Cinderela finalmente viu que o Príncipe era mimado demais, queria tudo do seu jeito, na sua hora, era totalmente egocêntrico e não respeitava os sentimentos dos outros. Até podemos compreender o pobre Príncipe... era filho único, de pais já idosos que estavam ali para satisfazerem seus caprichos, e um batalhão de empregados satisfazendo suas vontades na hora em que ele solicitava. Por sua vez, Cinderela sempre independente, forte, conseqüência de seu passado sofrido nas mãos de sua madrasta e irmãs postiças; não agüentou a convivência com o Príncipe. A relação desandou feio.. Cinderela achava que o Príncipe deveria se comportar como homem e não como um menino mimado. Geralmente quando era contrariado tinha rompantes de raiva... Por sua vez, ele achava que ela deveria ser menos mandona, querendo as coisas de seu jeito e reclamando o tempo todo. Resultado – divórcio!!! Na verdade o nome deveria ser intolerância e não divórcio. Não quero aqui generalizar, mas na maioria das vezes os rompimentos acontecem por intolerância com o outro e a própria situação que nos envolve. Mas, afinal, o que uniu Cinderela e o Príncipe? O que aconteceu com aquela linda história de amor do início dos Contos de Fadas? Talvez Cinderela tenha visto no Príncipe seu refúgio, sua chance de se libertar de suas cadeias. E o Príncipe, viu em Cinderela mais um objeto de seu desejo, afinal ela se tornou um desafio com toda aquela história de sapatinho de cristal.
                As pessoas se relacionam pelos mais variados motivos, alguns para fugirem de situações aprisionadoras, outras por pura carência ou por qualquer outro motivo tais como afinidades. Mas, quando se entra em um relacionamento, o que se deve ter em mente é que a felicidade do outro deve ser meu principal objetivo. Claro que no decorrer da caminhada muitas arestas deverão ser aparadas, mas sempre com muito amor e tolerância, enxergando o outro como realmente ele é, e não através das lentes de nossas expectativas. Alguns dias seu príncipe será um sapo, em outros será o príncipe encantado que arranca suspiros de você!!  O seu final feliz é você quem escreve. E lembre-se de que quem nos ajuda nessa caminhada e o Autor e Consumador de nossa fé – JESUS – nosso maior modelo de Amor!!!

Um comentário:

  1. É exatamente isso, a convivência nos faz enxergar aquilo que o outro é na verdade, no dia a dia... Além de uns abençoados que sempre aparecem para apontar os pontos cegos da relação.

    ResponderExcluir