quarta-feira, 17 de novembro de 2010

É só uma questão de escolha....

Somos reféns de nossas escolhas... isso parece um tanto terrorista...  seria se não fosse a maior das realidades! Durante toda nossa vida nos deparamos com escolhas. Algumas impostas pela própria vida, como por exemplo a família a que pertencemos, essa a vida se encarrega de fazer por nós. Outras feitas por nós no decorrer de nossa caminhada... umas definitivas, outras podem ser consertadas a tempo, como por exemplo o curso da faculdade, a profissão a ser seguida. Afinal somos seres em constante mutação. O fato é que diariamente nos deparamos com escolhas - a roupa que iremos usar, o cardápio do dia ... a  essas chamaria de escolhas cotidianas. Outras escolhas são mais definitivas, como é o caso de um casamento, ou ao D'us a quem serviremos.Quanto ao casamento, hoje em dia já não é tão definitiva assim para muitas pessoas, pois com o aumento da intolerância e do egocentrismo exarcebado, as pessoas que não lhe trazem a felicidade esperada, são facilmente descartadas e substituidas por outras que preencham os requisistos da tão sonhada felicidade!!! Quanto ao D'us a quem servir, essa sim lhe trará com certeza frutos eternos, pois não só determinará a vida presente, como a futura também. Mas, meu objetivo aqui não é levantar assuntos teológicos... São várias as motivações que impulsionam nossas escolhas.. para as cotidianas - o tempo, seu estado de espírito, o local a ser frequentado... Para as consertáveis, os salários atrativos, a satisfação pessoal, seu talento nato... Para as que deveriam ser definitivas, como o casamento, se o outro se enquadra no perfil idealizado, se supre as necessidades, se houve química no olhar, se os sinos da paixão foram tocados.. Enfim, são muitas as motivações. Mas o que devemos realmente saber é que para cada uma de nossas escolhas, virão consequências. Essas consequências serão diversas, positivas ou negativas, mas que com certeza construirão quem nós somos. Quando somos mais jovens, tomamos nossas decisões movidos pela paixão, pela ânsia do acerto... mas com nossa inexperiência juvenil, muitas dessas decisões são equivocadas. Mais tarde, quando olhamos para trás, e avaliamos nossa caminhada, por certo tomaríamos algumas decisões diferentes. Me faz lembrar de um filme que já assisti pelo menos uma dúzia de vezes - Derepente 30, que conta a história de uma menina de 13 anos, que era louca para chegar aos 30. Num passe de mágica chegou... e ela descobriu que se tornou uma pessoa não tão boa, fruto de suas decisões equivocadas da juventude... inclusive no que diz respeito ao grande amor de sua vida. O bom é que ela tem uma segunda chance de consertar as coisas... sorte a mesma que nós não teremos! Por isso, ao tomarmos nossas decisões, ao fazermos nossas escolhas que possamos pedir ao Senhor que nos mostre os passos que devemos seguir. Há um texto no Livro de Provérbios que diz que o coração do homem pode fazer os planos, mas a resposta certa vem do Senhor! Que ele nos ajude em nossa caminhada, dando-nos a tão sonhada sabedoria!!
Por Claudia Vilaça Sarmento

Nenhum comentário:

Postar um comentário