quinta-feira, 10 de dezembro de 2009


JESUS NÃO NASCEU NO NATAL

As antigas civilizações egípcias influenciavam todas as outras nações com a ideologia do “deus sol”. A festa acontecia em dezembro, um mês de inverno. Era a festa pagã mais celebrada. Eles ficavam esperando a chegada do sol e, pelo ritual, no dia 24 , no Oriente, o sol se abriria e , então, poderia haver a celebração porque o deus sol havia se manifestado. Este ritual solístico tem início em 25 de março e se encerra em 25 de dezembro. Roma adotou essa data esperada pelos pagãos, para o nascimento de Jesus; declarou que o Natal seria na viração do dia 24 para 25. O imperador Aureliano estabeleceu, em 275, que todos os fiéis e não fiéis obrigatoriamente comemorassem o Natal na data em que foi estabelecida pelas autoridades romanas. Isso se dava com a comemoração da natividade pagã. Todos deveriam participar dessa manifestação festiva e, por isso, foi oficializada, aproximadamente no ano 336, por Constantino.

Quem conhece Israel sabe que em 25 de dezembro é inverno naquela região e ninguém fica exposto ao tempo. Lucas 2:8 diz que os pastores estavam no campo. No final de outubro e início de novembro os pastores já não vão mais ao campo porque já é declarado inverno. Não há pastagem e é inseguro e desconfortante para o rebanho.

Na época do nascimento de Jesus, José e Maria estavam ascendendo a Jerusalém. Qual é o judeu que ascende a Jerusalém em dezembro? Em dezembro só existe uma festa que é a festa dos Macabeus, conhecida como a Festa das Luzes (Hanuká). José e Maria subiam porque Maria era da descendência de Davi e era decreto que os descendentes de Davi subissem a Jerusalém, todos os anos, para celebrarem a Festa dos Tabernáculos(Sucót). No caminho, em Belém, Jesus nasceu porque isto era profético (Miquéias 5:2). Mas não foi em dezembro. Segundo a História, era a Festa dos Tabernáculos.

O Dr. Russell Shedd tece o seguinte comentário ao explanar acerca do texto de Levítico 23:34:

“Esta primeira descrição da Festa dos Tabernáculos (vv 34-36), nos indica, também, o primeiro cumprimento do seu significado: é a vinda do Senhor Jesus Cristo para morar entre os homens. Pois Jesus não podia ter nascido em dezembro, que é um mês de neve em Jerusalém, durante o qual nenhum rebanho estaria nos campos (Lucas 2:8-11). Que, provavelmente, nasceu na época da Festa dos Tabernáculos, em outubro, e pode ser calculado assim: Zacarias exercia seu turno em julho (Lucas 1:5,8) por ser do turno de Abias, o oitavo turno do ano eclesiástico que começa em março (I Crônicas 24:10). Foi o mês da concepção de João Batista (Lucas 1:23-24) que nasceu, pois, em abril do ano seguinte. Jesus nasceu seis meses mais tarde (Lucas 1:26) portanto, em plena Festa dos Tabernáculos.”

A Enciclopédia Barsa, vol 11, pg 274 fala o seguinte sobre o Natal:

“A data atual foi fixada no ano 440 a fim de cristianizar grandes festas pagãs realizadas neste dia: a festa mitraica (religião persa que rivalizava com o cristianismo nos primeiros séculos), que celebrava o Natalis Invicti Solis (Nascimento do Vitorioso Sol) e várias outras festividades decorrentes do solstício do inverno, como os saturnalia em Roma e os cultos solares entre os celtas e os germânicos. A idéia central das missas de Natal revela claramente essa origem: as noites eram longas e frias, pelo que, em todos esses ritos, se ofereciam sacrifícios propiciatórios e se suplicava pelo retorno da luz.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário