quinta-feira, 26 de novembro de 2009


Parashá Vaietsê - Gn.28:10-32:2; Os. 11:7-14:9; Jo. 1:19:51
Leitura diária - Gn. 30:28 a 31:16

Gostaria de destacar alguns pontos interessantes nessa reflexão de hoje:
1. O Senhor protegeu Jacó das artimanhas de Labão. Era nítida a intenção de Labão dar um “golpe” em Jacó, mas o Senhor não permitiu. Assim como fez com Jacó o Senhor resguarda os seus de todo e qualquer tipo de má intenção, seja no trabalho, no âmbito familiar, com amigos, nos negócios ou em qualquer situação. O Senhor resguarda o justo!!
2. Uma outra curiosidade que encontramos no texto é que Jacó mandou chamar suas mulheres, Lea e Rachel e as consultou sobre a situação na qual se encontrava. Como é importante compartilharmos nossas preocupações ou projetos com nossos familiares, mesmo nos aconselhando com eles antes de qualquer tomada de decisão em nossas vidas!!
3. Bem, Labão queria nitidamente prejudicar Jacó, mas nós vemos que toda sua má intenção se voltou contra ele mesmo – quem “empobreceu” foi Labão!! Não devemos fazer com os outros o que não queremos para nós!! “Parece” que o mal feito se volta para nós, devemos tratar os outros como gostamos de ser tratados. Devemos ter o próximo em elevada estima, tendo sempre em mente que “devemos amar ao Eterno sobre todas as coisas e ao próximo como amamos a nós mesmos”.
4. O que sempre me deixou muito intrigada foi a relação de Lea e Jacó. Lendo o texto parece que Lea foi parceira do pai na empreitada de “enganar” Jacó. Mas, pensando nisso, nós podemos imaginar que Rachel concordou com a situação de certa forma. Estudando sobre Lea, vi que ela era uma mulher muito determinada, sabia qual era o seu papel na história. Rachel e reconheceram o papel de Lea desde o início e Jacó aproximou-se cada vez mais dela. Com
o amadurecimento do casamento com Lea, Jacó passou a valorizá-la mais a cada momento e seu amor por ela crescia. Lea acabou sendo sepultada na gruta dos Patriarcas e em seu ventre foram concebidas a maioria das tribos de Israel, os reis eternos de Israel e o Mashiach, da tribo de Judá!!! “Disse rabi Yits’chac em nome de rabi Shimon bar Iochai: Desde que o mundo foi criado, ninguém agradeceu tanto ao Eterno, até a chegada de Lea, como está escrito: Desta vez louvarei ao Eterno” Talmud, Berachót 7b. Que tremenda era essa mulher!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário